Repercussion of telemonitoring as a self-care strategy for diabetes mellitus people / Repercussão do telemonitoramento como estratégia para o autocuidado às pessoas com diabetes mellitus

Main Article Content

Cíntia Araujo Duarte
http://orcid.org/0000-0001-9510-8396
Lina Marcia Migueis Berardinelli
http://orcid.org/0000-0003-3412-8398
Vera Maria Sabóia
http://orcid.org/0000-0003-0382-5078
Julianna Pereira Ramos de Oliveira
http://orcid.org/0000-0001-6952-3756
Gabriela Francisco Silva
http://orcid.org/0000-0002-1842-1159

Resumo

RESUMO


Objetivo: analisar as produções científicas sobre o telemonitoramento e suas repercussões no acompanhamento do autocuidado de pessoas com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2). Métodos: trata-se de revisão integrativa da literatura, realizada nas bases de dados BVS (LILACS, BDENF, MEDLINE) e PUBMED nos meses de junho a julho de 2018, com recorte temporal de cinco anos. Resultados: a amostra é constituída de 10 artigos sobre a temática e, a partir de associações temáticas, foi nomeada em duas categorias: repercussão da estratégia telefônica para o autocuidado e estratégia telefônica: controle e eficácia. Conclusão: o uso do telemonitoramento no acompanhamento de pessoas com DM2 teve boa repercussão e serviu como apoio, educação em saúde e monitoramento dos níveis glicêmicos. Dessa forma, houve melhorias no comportamento de saúde e satisfação com o serviço recebido e, com isso, demonstrou eficácia para o autocuidado.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Duarte CA, Berardinelli LMM, Sabóia VM, Ramos de Oliveira JP, Silva GF. Repercussion of telemonitoring as a self-care strategy for diabetes mellitus people / Repercussão do telemonitoramento como estratégia para o autocuidado às pessoas com diabetes mellitus. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de junho de 2021 [citado 25º de janeiro de 2022];13:936-43. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/9685
Seção
Integrative Review of the Literature
Biografia do Autor

Cíntia Araujo Duarte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Enfermeira. Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGENF/UERJ) Rio de Janeiro- RJ, Brasil.

Lina Marcia Migueis Berardinelli, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem Medico-Cirúrgica, Área: Enfermagem Clínica, da  Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Rio de Janeiro - RJ, Brasil.

Vera Maria Sabóia, Universidade Federal Fluminense - UFF

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Fundamentos de Enfermagem, Área: Fundamentos de Enfermagem, da Universidade Federal Fluminense (UFF) - Niterói - RJ, Brasil. 

Julianna Pereira Ramos de Oliveira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Enfermeira. Mestre em Enfermagem pelo Programa Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGENF/UERJ) Rio de Janeiro - RJ, Brasil.

Gabriela Francisco Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Discente do 7º período do Curso de Graduação em Enfermagem. Bolsista de Iniciação Científica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Rio de Janeiro - RJ, Brasil.

Plum Analytics

Referências

Sociedade Brasileira de Diabetes (Brasil). Diretrizes da sociedade brasileira de diabetes. Rio de Janeiro: a.c. farmacêutica; 2017 [acesso em 27 de junho 2020] Disponível em: https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/2017/diretrizes/diretrizes-sbd-2017-2018.pdf.

World Health Organization (WHO). Global Status Report on Noncommunicable Diseases. Attaining the nine global noncommunicable diseases targets: a shared responsibility. [Internet]. 2017 [cited 2020 jun 27]. Available from: https://www.who.int/chp/ncd_global_status_report/en/.

International Diabetes Federation (Belgium). Diabetes Atlas. Brussels: International Diabetes Federation; 2015 [cited 2020 jun 27] Available from: https://www.idf.org/e-library/epidemiology-research/diabetes-atlas/13-diabetes-atlas-seventh-edition.html.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2013 [acesso em 15 de novembro 2020]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_pessoa_diabetes_mellitus_cab36.pdf.

Torres HC, Franco LJ, Stradioto MA, Hortale VA, Schall VT. Avaliação estratégica de educação em grupo e individual no programa educativo em diabetes. Rev. Saúde Públ. [Internet]. 2009 [acesso em 15 de fevereiro 2017]; 43(2). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102009005000001.

Vasconcelos HCA, Freitas RWJF, Marinho NBP, Damasceno MMC, Araújo LT, Lima FET. Eficácia de intervenções que utilizam o telefone como estratégia para o controle glicêmico: revisão integrativa da literatura. Texto & contexto enferm. [Internet]. 2013 [acesso em 15 de fevereiro 2017]; 20(1). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S010407072013000100029&lng=en&nrm=iso&tlng=pt.

Rezende EJC, Melo MCB, Tavares EC, Santos AF, Souza C. Ética e telessaúde: reflexões para uma prática segura. Rev. panam. salud pública. [Internet]. 2010 [acesso em 15 de fevereiro 2017]; 28(1). Disponível em: https://scielosp.org/pdf/rpsp/2010.v28n1/58-65/pt.

OLIVEIRA GYM, Almeida AMO, Girão ALA, Freitas CHA. Intervenções de enfermagem para promoção do autocuidado de pessoas com diabetes tipo 2: revisão integrativa. Rev. eletro. enferm. [Internet]. 2016 [acesso em 18 de abril 2018]; 18: e1188. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.38691.

Galvão MTRL, Janeiro JMSV. O autocuidado em enfermagem: autogestão, automonitorização e gestão sintomática como conceitos relacionados. REME rev. min. enferm. [Internet]. 2013 [acesso em 18 de abril 2017]; 17(1). Disponível em: http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20130019.

Fernandes BSM, Reis IA, Torres HC. Avaliação da intervenção telefônica na promoção do autocuidado em diabetes: ensaio clínico randomizado. Rev. latinoam. enferm. (Online). [Internet]. 2016 [acesso em 23 de maio 2017]; 24(20). Disponível em: http://www.dx.doi.org/10.1590/1518-8345.0632.2719.

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG. The PRISMA Group. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA Statement. PloS med. [Internet]. 2009 [cited 2017 may 23]; 6(7). Disponível em: https://dx.doi.org/10.1371%2Fjournal.pmed.1000097.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto enferm. [Internet]. 2008 [acesso em 23 de maio 2017]; 17(4). Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer? Einstein. [Internet]. 2007 [acesso em 23 de maio 2017]; 8(1). Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/pt_1679-4508-eins-8-1-0102.pdf.

Melnyk BM, Fineout-Overholt E. Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. 2. ed. Philadelphia: Lippincot Williams & Wilkins; 2005. 624p.

Delphino TM, Souza PA, Santana RF. Telemonitoramento como intervenção no pós-operatório de facectomia: revisão sistemática da literatura. REME rev. min. enferm. [Internet]. 2016 [acesso em 23 de maio 2017]; 20: e937. Disponível em: http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20160007.

Currell R, Urquhart C, Wainwright P, Lewis R. Telemedicine versus face to face patient care: effects on professional practice and health care outcomes. Cochrane database syst. rev. (online). [Internet]. 2000 [cited 2020 jun 27]; (2): CD002098. Available from: https://doi.org/10.1002/14651858.cd002098.

Quinn CC, Khokhar B, Weed K, Barr E, Gruber-Baldini AL. Older adult self-efficacy study of mobile phone diabetes management. Diabetes technol. ther. [Internet]. 2015 [cited 2017 may 14]; 17(7). Available from: https://doi.org/10.1089/dia.2014.0341.

Karhula T, Vuorinen AL, Rääpysjärvi K, Pakanen M, Itkonen P, Tepponen M et al. Telemonitoring and mobile phone-based health coaching among finnish diabetic and heart disease patients: randomize controlled trial. J. med. internet res. [Internet]. 2015 [cited 2017 may 23]; 17(6). Available from: https://doi.org/10.2196/jmir.4059.

Browning C, Chapman A, Yang H, Liu S, Zhang T, Enticott J et al. Management of type 2 diabetes in China: the Happy Life Club, a pragmatic cluster randomized controlled trial using health coaches. BMJ Open. [Internet]. 2016 [cited 2017 may 23];6(3). Available from: http://dx.doi.org/10.1136/bmjopen-2015-009319.

Nundy S, Mishra A, Hogan P, Lee SM, Solomon MC, Peek M. How do mobile phone diabetes programs drive behavior change? Evidence from a mixed methods observational cohort study. Diabetes educ. [Internet]. 2014 [cited 2017 may 23]; 40(6). Available from: https://dx.doi.org/10.1177%2F0145721714551992.

Osborn CY, Mulvaney SA. Development and feasibility of a text messaging and interactive voice response intervention for low-income, diverse adults with type 2 diabetes mellitus. J diabetes sci technol (Online). [Internet]. 2013 [cited 2017 apr 18]; 7(3). Available from: https://doi.org/10.1177/193229681300700305.

Dennis SM, Harris M, Lloyd J, Davies GP, Faruqi N, Zwar N. Do people with existing chronic conditions benefit from telephone coaching? A rapid review. Aust. health. rev. [Internet]. 2013 [cited 2017 apr 18]; 37(3). Available from: https://www.publish.csiro.au/ah/AH13005.

Wayne N, Perez DF, Kaplan DM, Ritvo P. Health coaching reduces HbA1c in type 2 diabetic patients from a lowe-socioeconomic status community: A randomized controlled trail. J. med. internet res. [Internet]. 2015 [cited 2017 apr 18]; 17(10). Available from: http://doi.org/10.2196/jmir.4871.

Cavalari E, Mello BLD, Oliveira AS, Alves LMM. Utilização da telenfermagem às pessoas com doenças crônicas: revisão integrativa. J. health inform. [Internet]. 2012 [acesso em 18 de abril 2017]; 4(Esp. 2). Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-707366.

Nelson LA, Coston TD, Cherrington AL, Osborn CY. Patterns of user engagement with mobile- and web-delivered self-care interventions for adults with T2DM: A review of the literature. Curr. diab. rep. [Internet]. 2016 [cited 2017 may 23]; 16(7). Available from: https://doi.org/10.1007/s11892-016-0755-1.

Ruggiero L, Rilev BB, Hernandez R, Quinn LT, Gerber BS, Castillo A et al. Medical assistant coaching to support diabetes self-care among low-income racial/ethnic minority populations: randomized controlled trial. West. j. nursing res. [Internet]. 2014 [cited 2017 may 11]; 36(9). Available from: https://doi.org/10.1177/0193945914522862.

Nundy S, Dick JJ, Solomon MC, Peek ME. Developing a behavioral model for mobile phone-based diabetes interventions. Patient educ. couns. [Internet]. 2013 [cited 2017 may11]; 90(1). Available from: https://doi.org/10.1016/j.pec.2012.09.008.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>