Mobile applications on hiv/aids: a technological prospection / Aplicativos móveis sobre o HIV/aids: uma prospecção tecnológica

Main Article Content

Vivian Costa Fermo
http://orcid.org/0000-0001-5324-4701
Francis Solange Vieira Tourinho
http://orcid.org/0000-0002-8537-9958
Patricia Ilha Schuelter
http://orcid.org/0000-0002-8510-8920
Douglas Dyllon Jerônimo de Macedo
http://orcid.org/0000-0002-3237-4168
Thaís Fávero Alves
http://orcid.org/0000-0003-3246-8014
Priscila Basto Fagundes
http://orcid.org/0000-0002-9461-311X

Resumo

Objetivo: identificar aplicativos, disponíveis para a cultura brasileira, que promovam conhecimentos ou informações acercas do HIV/Aids. Método: estudo de prospecção tecnológica realizada através de pesquisa documental com abordagem qualitativa. Foi realizada a busca por aplicativos através de acesso as lojas virtuais Apple Store e Google Play em janeiro de 2019. Na estratégia de busca utilizou-se os termos: HIV e aids.  A organização dos dados foi realizada a partir de uma listagem com os aplicativos e suas características. Resultados: foram identificados 19 aplicativos na loja virtual Apple Store e 13 na Google Play. Em ambas as lojas virtuais foram identificados aplicativos voltados a população usuária dos sistemas de saúde, profissionais da saúde e população em geral, que promovem o acesso as informações relacionadas ao tema HIV/Aids. Considerações finais: os aplicativos apresentam potencial para contribuir no controle no HIV/aids no país através da abordagem a prevenção combinada.




 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Costa Fermo V, Vieira Tourinho FS, Ilha Schuelter P, Jerônimo de Macedo DD, Fávero Alves T, Basto Fagundes P. Mobile applications on hiv/aids: a technological prospection / Aplicativos móveis sobre o HIV/aids: uma prospecção tecnológica. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 2º de junho de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];13:989-94. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/9759
Seção
Research
Biografia do Autor

Vivian Costa Fermo, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira. Doutoranda em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atua na Estratégia Saúde da Família da Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis/SC. Membro do Laboratório de Investigação do Cuidado, Segurança do Paciente e Inovação Tecnológica em Saúde (LABTESP).

Francis Solange Vieira Tourinho, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira. Doutora em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade Estadual de Campinas. Professora Associada II do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina. Líder do Laboratório de Investigação do Cuidado, Segurança do Paciente e Inovação Tecnológica em Saúde (LABTESP).

Patricia Ilha Schuelter, Anestech

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atua como Gerente de Produto e Data Protection Officer na Anestech. Membro do Laboratório de Investigação do Cuidado, Segurança do Paciente e Inovação Tecnológica em Saúde (LABTESP).

Douglas Dyllon Jerônimo de Macedo, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor Adjunto do Departamento de Ciência da Informação (CIN) da Universidade Federal de Santa Catarina. Doutor em Engenharia de Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina. Coordenador do Laboratório de Engenharia e Ciência de Dados (LECID/UFSC).

Thaís Fávero Alves, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira. Doutoranda em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina, linha de pesquisa: Modelos e Tecnologias para o Cuidado em Saúde e Enfermagem. Membro do Laboratório de Investigação do Cuidado, Segurança do Paciente e Inovação Tecnológica em Saúde (LABTESP).

Priscila Basto Fagundes, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Ciência da Informação na Universidade Federal de Santa Catarina. Membro do grupo de pesquisa ITI-RG ? Inteligência, Tecnologia e Informação vinculado ao Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina.

Plum Analytics

Referências

Unaids. Joint United Nations. Programme on HIV/AIDS. 90-90-90 On the right track towards the global target. 2016.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Relatório de Monitoramento Clínico do HIV. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2019.

Georgette N, Siedner MJ, Zanoni B, Sibaya T, Petty CR, Carpenter S, et al. The Acceptability and Perceived Usefulness of a Weekly Clinical SMS Program to Promote HIV Antiretroviral Medication Adherence in KwaZulu-Natal, South Africa. AIDS behav. 2016 [cited 2019 fev 18]; 20 (11): 2629-2638. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4949151/pdf/nihms-752739.pdf.

Westergaard RP, Genz A, Panico K, Surkan PJ, Keruly J, Hutton HE, et al. Acceptability of a mobile health intervention to enhance HIV care coordination for patients with substance use disorders. Addict Sci Clin Pract. 2017 Apr 26 [cited 2020 fev 13]; 12(1):11. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5405459/

Haberer JE, Musinguzi N, Tsai AC, Boum Y 2nd, Bwana BM, Muzoora C, et al. Real-time electronic adherence monitoring plus follow-up improves adherence compared with standard electronic adherence monitoring. AIDS. 2017 [cited 2019 aug 15]; 31(1): 169-171. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5280076/pdf/nihms831635.pdf

Amparo KKS, Ribeiro MCO, Guarieiro LLN. Estudo de caso utilizando mapeamento de prospecção tecnológica como principal ferramenta de busca científica. Perspect Ciênc Inf (Online). 2012; 17(4): 195-209. Available from: http://www.scielo.br/pdf/pci/v17n4/12.pdf

Bahruth EB, Antunes MAS, Bomtempo JV. Prospecção Tecnológica na Priorização de Atividades de C & T: caso Q-Trop_Tp. In: Antunes A, Pereira Júnior N, Ebole MF. Gestão em Biotecnologia. 2006; 1(18): 300-324. Rio de Janeiro: E-papers.

Ribeiro NR, organizadora. Prospecção tecnológica. Salvador: IFBA; 2018.

Vasconcelos JMB, Calori MHL. Ações de enfermagem antes e após um protocolo de prevenção de lesões por pressão em terapia intensiva. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2017 [cited 2020 fev 13]; Available from: http://www.scielo.br/pdf/ean/v21n1/1414-8145-ean-21-01-e20170001.pdf

Cabrera PA, Pardo R. Review of evidence based clinical practice guidelines developed in Latin America and Caribbean during the last decade: an analysis of the methods for grading quality of evidence and topic prioritization. Global health. 2019 [cited 2020 fev 13]; 15:14. doi: https://doi.org/10.1186/s12992-019-0455-0

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento Nacional de DST, Aids e Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013.

Ministério da Saúde (BR). 5 passos para a implementação do Manejo da Infecção pelo HIV na Atenção Básica: guia para gestores. Brasília (DF): Ministério da Saúde: 2014.

Mimiaga MJ, Kuhns LM, Biello KB, Olson J, Hoehnle S, Santostefano CM, et al. Positive STEPS – a randomized controlled efficacy trial of an adaptive intervention for strengthening adherence to antiretroviral HIV treatment among youth: study protocol. BMC public health (Online). 2018 [cited 2020 fev 13]; 18: 867. Available from: https://bmcpublichealth.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s12889-018-5815-9

Horvath KJ, Lammert S, MacLehose RF, Danh T, Baker JV, Carrico AW. A Pilot Study of a Mobile App to Support HIV Antiretroviral Therapy Adherence Among Men Who Have Sex with Men Who Use Stimulants. AIDS behav. 2019 [cited 2020 fev 14]; 23: 3184–198. Available from: https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs10461-019-02597-3

Lima ICV, Galvão MTG, Pedrosa SC, Farias OO, Costa Silva CA, Cunha GH. Aplicativo de mensagens instantâneas no cuidado às pessoas vivendo com HIV/aids. Rev Bras Enferm. 2019 [cited 2020 fev 13]; 72(5): 1225-30. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v72n5/pt_0034-7167-reben-72-05-1161.pdf

Swendeman D, Ramanathan N, Baetscher L, Medich M, Scheffler A, Comulada WS, et al. Smartphone self-monitoring to support self-management among people living with HIV: perceived benefits and theory of change from a mixed-methods randomized pilot study. J acquir immune defic syndr. 2015 [cited 2019 mai 18]; 69(1): 80-91. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4485442/pdf/nihms661267.pdf

Farmer S, Mindry D, Comulada S, Swendemann D. Mobile Phone Ecological Momentary Assessment of Daily Stressors Among People Living With HIV: Elucidating Factors Underlying Health-Related Challenges in Daily Routines. J Assoc Nurses AIDS Care. 2017; 28(5): 737-751. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28549526

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Prevenção Combinada do HIV - Bases conceituais para profissionais, trabalhadores(as) e gestores(as) de saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

Santaella L, Nesteriuk S, Fava F. Gamificação em debate. São Paulo: Blucher, 2018.

Dicheva D, Dichev C, Agre G, Angelova G. Gamification in education: a systematic mapping study. Journal of Educational Technology & Society. 2015; 18(3): 1-14.

Sardi L, Fernández-Alemán JL. A systematic review of gamification in e-Health. J biomed Inform. 2017 [cited 2019 aug 22]; 71: 31-48. Available from: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1532046417301065?via%3Dihub

Barbosa BJP, Pereira da Silva A, Mota TJ, Nichiata LY. Análise do conteúdo central dos aplicativos sobre HIV para smartphones. J health inform. 2019 [cited 2019 aug 22]; 11(1): 13-20. Available from: http://www.jhi-sbis.saude.ws/ojs-jhi/index.php/jhi-sbis/article/view/653/349

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)