Taxi drivers’ mental health status and their life quality / Condições de saúde mental e qualidade de vida de taxistas

Edison Vitório de Souza Júnior, Sarah Rodrigues Silva, Bruno Gonçalves de Oliveira, Eliane dos Santos Bomfim, Rita Narriman Silva de Oliveira Boery, Eduardo Nagib Boery

Resumo


Objetivos: Avaliar a influência das condições de saúde mental na Qualidade de Vida dos taxistas. Métodos: Estudo de corte transversal realizado com 133 taxistas associados ao Sindicato dos Condutores Autônomos de Jequié-Ba. Para avaliar a Qualidade de Vida foi utilizado o questionário Whoqol-Bref e o questionário SRQ-20 para as condições de saúde. Para as análises estatísticas foi utilizado o teste de Mann Whitney, adotando nível de confiança de 5% (p<0,05). A pesquisa teve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa sob o n° 333.535. Resultados: A prevalência da suspeição de transtorno mental comum foi de 25,6% e houve diferença estatisticamente significante entre todos os domínios da qualidade de vida. Conclusão: Os indivíduos que apresentaram algum tipo de transtorno mental comum apresentaram pior percepção de QV. Assim conclui-se que as condições de saúde mental influenciam na qualidade de vida dos taxistas.Descritores: Qualidade de vida, Nível de saúde, Saúde do trabalhador.


Palavras-chave


Qualidade de vida, Nível de saúde, Saúde do trabalhador.

Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


Moretti S, Treichel A. Qualidade de vida no trabalho x Auto-realização humana. Revista Leonardo Pós. 2003 [citado 2016 ago 01]; 1(3):1-14. Available at: http://www.icpg.com.br/artigos/rev03-12.pdf. 2. Cavalcante MA, Bombig MTN, Luna Filho B, Carvalho ACC, Paola AVV, Póvoa R. Qualidadde de vida de pacientes hipertensos em tratamento ambulatorial. Arq. Bras. Cardiol. 2007; 89(4): 245250. Available at: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0066-782X2007001600006 3. Minayo MCS, Hartz ZMA, Buss, PM. Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciência & Saúde Coletiva. 2000; 5(1): 7-18. Available at: http://www.scielo.br/pdf/csc/v5n1/7075.pdf 4. Moreira HR et al. Qualidade de vida do trabalhador docente em educação física do magistério público estadual do Paraná. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2010; 12(6): p.435-42. Available at: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/ view/8690/7644 5. Pereira LZ, Zille GP. O estresse no trabalho: uma análise teórica de seus conceitos e suas inter-relações. Gestão e Sociedade. 2010; 4(7): 414-434. Available at: https://www.gestaoesociedade.org/gestaoesociedade/ article/view/923 6. Luna JS, Souza OFS. Sintomas osteomusculares em taxistas de Rio Branco, Acre: prevalência e fatores associados. Cad. Saúde Colet. 2014; 22 (4): 401-8. Available at: http://www.scielo.br/pdf/cadsc/ v22n4/1414-462X-cadsc-22-04-00401.pdf 7. Carvalho ARN. Análise de ocorrência da síndrome de burnout em motoristas de taxi de uma empresa de rádio-taxi da cidade de Aracaju/ SE [dissertação]. São Paulo: Universidade Paulista; 2012.

Galdino F, Bento FD, Almudi G, Silva VFM, Catai RE. Análise ergonômica no trabalho de taxistas. Fiep Bulletin. 2015 [citado 2016 ago 15]; 85(n°esp.). Available at: http://www.fiepbulletin.net/index. php/fiepbulletin/article/view/85.a1.104. 9. Souza CS. Análise da ocorrência da síndrome de burnout em motoristas de ônibus intermunicipais da baixada santista [dissertação] [internet]. Maceió: Universidade Paulista; 2013. [acesso em 2017 jun 08]. Available at: http://netrantransito.com.br/arq_download/MONOGRAFIA%20 DE%20CIBELE%20SANTOS%20FINAL_2.pdf 10. Harding TW, Arango MV, Baltazar J, Climent CE, Ibrahim HHA, Ladrido-Ignacio L. Mental disorders in primary health care: a study of their frequency and diagnosis in four developing countries. Psychol Med. 1980; 10(2): 231-41. 11. Gonçalves DM, Stein AT, Kapczinski F. Avaliação de desempenho do Self-Reporting Questionnaire como instrumento de rastreamento psiquiátrico: um estudo comparativo com o Structured Clinical Interview for DSM-IV-TR. Cad. Saúde Pública. 2008; 24(2): 380-390. Available at: http://www.scielo.br/pdf/csp/v24n2/16.pdf 12. Barbosa GB, Correia AKS, Oliveira LMM, Santos VC, Ferreira SMS Martins Junior DF et al. Trabalho e saúde mental dos profissionais da Estratégia Saúde da Família em um município do Estado da Bahia, Brasil. Rev. bras. Saúde ocup. 2012; 37 (126): 306-315. Available at: http://www.scielo.br/pdf/rbso/v37n126/a12v37n126.pdf 13. Teixeira JRB, Boery EN, Casotti CA, Araújo TM, Pereira R, Ribeiro IJS et al. Associação entre aspectos psicossociais do trabalho e qualidade de vida de mototaxistas. Cad. Saúde Pública. 2015; 31(1):97-110. Available at: http://www.scielosp.org/pdf/csp/v31n1/0102-311Xcsp-31-01-00097.pdf 14. Mônica Dantas Farias; Tânia Maria de Araújo; Transtornos mentais comuns entre trabalhadores da zona urbana de Feira de Santana-BA. Rev. bras. Saúde ocup. 2011; 36 (123): 25-39. Available at: http://www. scielo.br/pdf/rbso/v36n123/a04v36n123.pdf 15. Oliveira BG, Ribeiro IJS, Bomfim ES, Boery RNSO, Casotti CA, Boery EN. Saúde cardiovascular e qualidade de vida de mototaxistas. Arq. Ciênc. Saúde. 2015; 22(1) 33-38. Available at: http://www. cienciasdasaude.famerp.br/index.php/racs/article/view/30/24 16. Oliveira BG, Nascimento TLRG, Teixeira JRB, Nery AA, Casotti CA, Boery EM. Influência da condição de trabalho na qualidade de vida de taxistas. Revista Baiana de Enfermagem, Salvador. 2016; 30(1): 365-74. Available at: https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/ view/14138/pdf_35 17. Ferreira SS, Alvarez D. Organização do trabalho e comprometimento da saúde: um estudo em caminhoneiros. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão. 2013; 8(1): 58-66. Available at: http://www.revistasg.uff.br/ index.php/sg/article/viewFile/V8N1A5/V8N1A5 18. Massonl VA, Monteiro MI. Estilo de vida, aspectos de saúde e trabalho de motoristas de caminhão. Rev Bras Enferm. 2010; 63(4): 533-40. Available at: http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n4/06.pdf 19. Pitanga FJG, Lessa I. Prevalência e fatores associados ao sedentarismo no lazer em adultos. Cad. Saúde Pública. 2005; 21(3): 870-77. Available at: http://www.scielo.br/pdf/csp/v21n3/21.pdf 20. Cooper CL, Marshall J. Occupational sources of stress: a review of the literature relating to coronary heart disease and mental ill health. In: Cooper CL, editor. From stress to wellbeing: the theory and research on occupational stress and wellbeing. London: Palgrave Macmillan; 2013. p. 3-23. 21. Ramon AS. Vida de caminhoneiro: sofrimento e paixão [dissertação] [internet]. Campinas: Pontífica Universidade Católica; 2015. [acesso em 2017 jun 08]. Available at: http://tede.bibliotecadigital.puccampinas.edu.br:8080/jspui/bitstream/tede/351/1/RAMON%20 ARAUJO%20SILVA.pdf 22. Neumann VN, Freitas MÉA. Qualidade de vida no trabalho: percepções da equipe de enfermagem na organização hospitalar. REME: Rev Min Enferm. 2008; 12 (4): 531-37. Available at: http://www.reme.org.br/ artigo/detalhes/298 23. Costa RP, Ferreira PAM, Monteiro Junior FC, Ferreira ASP, Ribeiro VS, Nascimento GC et al. Fatores de Risco Cardiovascular e sua Relação com o Nível de Escolaridade numa População Universitária. Int J Cardiovasc Sci. 2015; 28(3):234-43. Available at: http://www. onlineijcs.org/sumario/28/pdf/v28n3a10.pdf 24. Amorim CR, Araújo EM, Araújo TM, Oliveira NF. Acidentes de trabalho com mototaxistas. Rev Bras Epidemiol. 2012; 15(1):25-37. Available at: http://www.scielo.br/pdf/rbepid/v15n1/03.pdf

Silva DW, Andrade SM, Soares DA, Nunes EFPA, Melchior R. Condições de trabalho e riscos no trânsito urbano na ótica de trabalhadores motociclistas. Physis. 2008; 18(2): 339-360. Available at: http://www.scielo.br/pdf/physis/v18n2/v18n2a08.pdf 26. Moura Neto AB, Silva MC. Diagnóstico das condições de trabalho, saúde e indicadores do estilo de vida de trabalhadores do transporte coletivo da cidade de Pelotas - RS. Rev bras ativ fis e saúde. 2012; 17 (5):347-58. Available at: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index. php/RBAFS/article/view/2174/pdf6 27. Fleck MP, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L et al . Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Rev. Saúde Pública. 2000; 34(2): 178-183. Available at: http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102000000200012 28. Maina GM, Caine V. Resisting occupational gender stereotypes: experiences of taxi women conductors in Kenya. Gender & behav. 2013;11(2):5546-55.




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i4.998-1004 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.

O atendimento telefônico da secretaria funciona de 06:00 as 09:00, de segunda a sexta feira.

 

        

Crossref Metadata User Badge