The nursing professionals’ engagement to educational practices / Adesão dos profissionais de enfermagem às práticas educacionais

Winnie Taíse Pena Macêdo, Brena Melo Figueiredo, Danielle Saraiva Tuma dos Reis, Silvia Helena Portilho Barros, Maximira Carlota de Araújo Ramos, Silvio Eder Dias da Silva

Resumo


Objetivo: Compreender as causas que levam a não adesão dos profissionais de enfermagem às capacitações realizadas no hospital. Métodos: Estudo de caráter exploratório-descritivo, do tipo transversal e de cunho qualitativo, realizado com profissionais de enfermagem de uma clínica de hospital de Belém-Pa por meio de questionários. Resultados: O total da população deste estudo é composta de 25 funcionários: 5 enfermeiros, 11 técnicos de enfermagem, 8 auxiliares de enfermagem. Após a análise dos questionários, identificou-se 3 categorias: Conclusão: Os resultados demonstram a necessidade de se adaptar as práticas da Educação Permanente em Saúde a realidade do profissional e da instituição.  É importante salientar que apesar das dificuldades enfrentadas pelos profissionais, eles compreendem a importância da Educação Permanente, isso demostra relevância deste estudo, pois percebendo o porquê das causas da não adesão pode-se trabalhar em medidas que reduzam a dispersão do profissional de enfermagem nas atividades educativas no local de trabalho.


Palavras-chave


Educação em saúde; Enfermagem; Capacitação

Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


Montenegro LC. A formação profissional do enfermeiro: avanços e desafios para a sua atuação na Atenção Primária à Saúde. [dissertação]; Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG; 2010; [citado em: 20 mar 2017]. Available at: http://www.enf.ufmg.br/pos/ defesas/655M.PDF. 2. Ministério da Saúde (BR). Portaria GM/MS nº 198, de 13 de fevereiro de 2004. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Diário Oficial da União; Brasília, DF, Seção 1, 2004. 3. Carotta F, Kawamura D, Salazar J. Educação permanente em saúde: uma estratégia de gestão para pensar, refletir e construir práticas educativas e processos de trabalhos. Saude Soc. [internet]. 2009[citado em: 22 mar 2017]; 18(1):48-51. Available at: http://www.revistas.usp. br/sausoc/article/view/29529. 4. Ricaldoni CAC, Sena RR. Permanent education: a tool to think and act in nursing work. Rev LatinoAm Enfermagem. [internet]. 2006[citado em: 18 mai 2017].14(6): 837-842. Available at: http://www.scielo.br/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692006000600002&lng= en&nrm=iso. 5. Jesus MCP, Figueiredo MAG, Santos SMR, Amaral AMM, Rocha LO, Thiollent MJM. Educação permanente em enfermagem em um hospital universitário. Rev Esc Enferm USP. [internet]. 2011[citado em: 18 mai 2017]; 45(5):1224-31. Available at: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/ v45n5/v45n5a28. 6. Duarte MLC, Oliveira AI. Compreensão dos coordenadores de serviços de saúde sobre educação permanente. Cogitare Enferm. [internet] 2012 [citado em: 9 dez 2016];17(3):506-12. Available at: http://www.redalyc. org/articulo.oa?id=483648964014. 7. Paschoal AS, Mantovani MF, Méier MJ. Percepção da educação permanente, continuada e em serviço para enfermeiros de um hospital de ensino. Rev Esc Enferm USP[internet]. 2007 [citado em: 9 dez 2016]; 41(3):478-84. Available at: http://www.redalyc.org/articulo. oa?id=361033291019. 8. Miccas FL, Batista SHSS. Educação permanente em saúde: metassíntese. Rev Saúde Pública [internet]. 2014 [citado em: 9 dez 2016];48(1):17085. Available at: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=67237023019. 9. Barbosa VBA, Ferreira MLSM, Barbosa PMK. Educação permanente em saúde: uma estratégia para a formação dos agentes comunitários de saúde. Rev Gaúcha Enferm [internet]. 2012 [citado em: 11 dez 2016]; 33(1):56-63. Available at: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S1983-14472012000100008&lng=en&nrm=iso. 10. Barth PO, Aires M, Santos JLG, Ramos FRS. Educação permanente em saúde: concepções e práticas de enfermeiros de unidades básicas de saúde. Ver Eletr Enf. [Internet]. 2014 [citado em: 11 dez 2016]; 16(3):604-11. Available at: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/22020. 11. Vendruscolo C, Anastácio CA, Toldo J, Trindade LL, Zocche DAA. Educação permanente em saúde: percepção dos gestores do SUS na Macrorregião Oeste, em Santa Catarina. RECIIS – R Eletr de Com Inf Inov Saúde. [Internet].2013 [citado em: 16 jan 2016]; 7(4). Available at: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/574. 12. Quintela FCA. Concepções de Educação Permanente em Saúde Difundidas Por Gestores. 2014. [Dissertação]. Universidade Federal do Espírito Santo. [citado em: 11 fev 2017]; Available at: http://repositorio. ufes.br/handle/10/1659. 13. Ceccim RB, Ferla AA. Educação permanente em saúde. In: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, org. Dicionário da educação profissional em saúde. Rio de Janeiro: EPSJV/Fiocruz; 2006; 107-12. 14. Francisco AM, Guimarães CMC, Galli HC, Marmorato BHMDL. Avaliação da formação de enfermeiros: o reflexo dos métodos de ensinoaprendizagem e pressupostos curriculares na prática profissional. Avaliação [Internet]. 2016 [citado em: 16 jan 2017]; 21:479-502. Available at: http://www.redalyc.org/pdf/2191/219146657009.pdf

Ciconet RM, Marques GQ, Lima MADS. Educação em serviço para profissionais de saúde do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): relato da experiência de Porto Alegre-RS. Interface Comun Saúde Educ. [Internet]. 2008 [citado em: 16 jan 2017];12(26):659-66. Available at: http://www.scielo.br/pdf/icse/v12n26/a16. 16. Silva CT, Souto,VT, Roso CC, Terra MG. Educação permanente em saúde: percepção de profissionais de uma residência multidisciplinar. Rev Enferm UFSM [Internet]. 2014 [citado em: 18 jan 2017]; 3:627-635. Available at: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/ view/11067/pdf. 17. Guimarães EMP, Martin SH, Rabel FCP. Educação permanente em saúde: reflexões e desafios. Cienc enferm. [Internet]. 2010 [citado em: 23 fev 2017]; 16(2):25-33. Available at:




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i4.1058-1064 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.

O atendimento telefônico da secretaria funciona de 06:00 as 09:00, de segunda a sexta feira.

 

        

Crossref Metadata User Badge