Religiosity evidence of residents in city south of Minas Gerais / Evidências de religiosidade em residentes de cidade sul mineira

Autores

  • José Vitor da Silva pós-doutor, docente da Escola de Enfermagem Wenceslau Braz, Itajubá, MG e da Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre, MG
  • Elaine Aparecida Rocha Domingues Enfermeira. Doutoranda e mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Campinas. Endereço: Rua: Candelária, 427, Medicina, Itajubá- MG, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i1.52-61

Palavras-chave:

Religião, espiritualidade, cidade, enfermagem

Resumo

Objetivos: Avaliar a religiosidade e relacionar com ela as características biossociais. Métodos: Trata-se de um estudo de abordagem quantitativa, do tipo descritivo, realizado com 600 pessoas residentes em Itajubá, MG. Foram utilizados dois instrumentos. Resultados: Encontrou-se que 29% dos entrevistados iam uma vez por semana à igreja; 42,5% dedicavam, diariamente, o seu tempo a atividades religiosas individuais; 74% sentiam a presença de Deus em sua vida; 57% mencionaram que as crenças religiosas estavam inseridas em sua maneira de viver; 50,5% se esforçavam muito para viver a sua religião. As mulheres eram mais religiosas do que os homens (RO p<0,004; RNO e RI p<0,001); as pessoas com menos escolaridade, com exceção da RO (p=0,083) eram mais religiosas (RNO p=0,001 e RI p<0,02). As pessoas com prática religiosa tinham maior religiosidade do que aquelas que não praticavam uma determinada religião (p<0,001). Conclusão: Identificaram-se evidências religiosas entre os três tipos de religiosidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2018-01-09

Como Citar

1.
da Silva JV, Domingues EAR. Religiosity evidence of residents in city south of Minas Gerais / Evidências de religiosidade em residentes de cidade sul mineira. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online) [Internet]. 9º de janeiro de 2018 [citado 17º de abril de 2024];10(1):52-61. Disponível em: https://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/5976

Edição

Seção

Artigo Original

Plum Analytics