UNVEILING THE PATHS OF THE THEATER OF THE OPPRESSED AS A STRATEGY FOR PSYCHOSOCIAL REHABILITATION

Main Article Content

Juliana Jamaica Sousa da Silva
Priscilla Maria de Castro Silva
Elisângela Braga de Azevedo
Maria de Oliveira Ferreira Filha
Renata Cavalcanti Cordeiro

Resumo

Objetivos: Investigar as concepções sobre reabilitação psicossocial dos usuários e profissionais que trabalham com Teatro do Oprimido (TO) no CAPS III- Liberdade de Aracaju/SE/Brasil em 2011. Identificando quais foram às melhorias na qualidade de vida de portadores de sofrimento psíquico. Métodos: Estudo exploratório-descritivo e qualitativo, coletado através de entrevista semiestruturada com 06 usuários e 01 profissional, sendo analisado através da análise de conteúdo. Resultados: Revelaram usuários ativos; melhora na expressão dialógica e corporal e o TO como uma estratégia de reabilitação psicossocial, pois além de aproximar os participantes, mostram caminhos para o resgate da autonomia através das encenações, além de incentivar à arte. Apresentam também melhora na qualidade de vida e permitem intervalos entre as crises psiquiátricas maiores, tornando-se uma ponte de fortalecimento para a aproximação familiar. Porém, existem dificuldades na sua operacionalização.  Conclusões: Trata-se de uma ferramenta que possibilita a estabilização e a reabilitação dos portadores de sofrimento psíquico.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Silva JJS da, Silva PM de C, Azevedo EB de, Filha M de OF, Cordeiro RC. UNVEILING THE PATHS OF THE THEATER OF THE OPPRESSED AS A STRATEGY FOR PSYCHOSOCIAL REHABILITATION. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 30º de abril de 2012 [citado 4º de julho de 2022];(Supl.):164-75. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/1952
Seção
Research
Biografia do Autor

Juliana Jamaica Sousa da Silva, Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande – Paraíba

Enfermeira, Graduada pela Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande – Paraíba, Brasil

Priscilla Maria de Castro Silva, de Enfermagem da UFCG e da FCM de Campina Grande - PB.

Enfermeira, Mestranda em Enfermagem pela UFPB. Professora do Departamento de Enfermagem da UFCG e da FCM de Campina Grande - PB. Pesquisadora do Grupo de estudos e pesquisas em saúde mental comunitária – UFPB. Paraíba,Brasil.  

Elisângela Braga de Azevedo, Departamento de enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande-PB.

Enfermeira.Doutoranda em enfermagem pela Universidade Federal da Paraíba. Professora do Departamento de enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande-PB. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Saúde Mental Comunitária da UFPB. Paraíba , Brasil. 

Maria de Oliveira Ferreira Filha, Universidade Federal da Paraíba

Enfermeira. Doutora em enfermagem pela UFCE. Professora Adjunto IV da Universidade Federal da Paraíba; Líder do Grupo de estudos e pesquisas em saúde mental comunitária. Atuação em Enfermagem Psiquiátrica. João Pessoa /Paraíba/Brasil. 

Renata Cavalcanti Cordeiro, Universidade Federal da Paraíba

Enfermeira, Mestranda em Enfermagem pela Universidade Federal da Paraíba. Membro do Grupo de estudos e pesquisas em saúde mental comunitária – UFPB. João Pessoa (PB) Brasil. 

Plum Analytics

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)