Hospitalizations and hospital costs for spontaneous abortion in bahia, Brazil / Internações e custos hospitalares por aborto espontâneo na Bahia, Brasil

Edison Vitório de Souza Júnior, Gabriel Aguiar Nunes, Mariana Alves Soledade de Jesus, Diego Pires Cruz, Rita Narriman Silva de Oliveira Boery, Eduardo Nagib Boery

Resumo


Objetivo: Descrever os casos de internações e custos hospitalares por aborto espontâneo no estado da Bahia, Brasil no período de 2011 a 2016. Métodos: Estudo epidemiológico, descritivo e transversal baseado no banco de dados secundários do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. As variáveis coletadas foram: faixa etária, raça/cor e custos hospitalares. Resultados: Foram registrados 53.761 casos de internações. A maior prevalência ocorreu na macrorregião leste (n=21.925), com faixa etária entre 20 e 24 anos (n=11.944) e cor/raça parda (n=30.319). Os custos hospitalares foram de R$ 6.497.904,99 reais, sendo que o ano de 2012 e a macrorregião Leste geraram maior ônus ao estado. Conclusão: Evidenciou-se grande prevalência de internações na Bahia.  A análise desse quadro retoma a necessidade de conceder atenção especial à problemática, principalmente nos grupos prioritários da macrorregião leste do estado.

Palavras-chave


Epidemiologia, Hospitalização, Saúde da mulher, Aborto espontâneo, Custos de cuidados de saúde.

Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


World Health Organization, author. The prevention and management of unsafe abortion. Geneva: WHO Press; 1992.

Araújo AKL, Silva Júnior FJG, Araujo Filho ACA, Nery IS, Monteiro CFS. Perfil de mulheres que vivenciaram complicações decorrentes do aborto: evidências da literatura científica brasileira. R. Interd [internet]. 2016 [acesso em 2017 nov 15]; 9(1):224 33. Disponível em: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/491/pdf_301

Machado CJ, Lobato ACL, Melo VH, Guimarães MDC. Perdas fetais espontâneas e voluntárias no Brasil em 1999 2000: um estudo de fatores associados. Rev Bras Epidemiol. 2013; 16(1):18 29. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1415 790X2013000100002

Mccallum C, Menezes G; Reis AP. O dilema de uma prática: experiências de aborto em uma maternidade pública de Salvador, Bahia. Hist. Ciênc. Saúde Manguinhos. 2016;23(1):37-56. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702016000100004

Silva MM, Lopes MM, Barril N. Abortamento espontâneo de repetição: importância de apoio psicológico. Rev Cuid [internet]. 2013 [acesso em 2017 nov 15]; 7(1):60-6. Disponível em: http://fundacaopadrealbino.org.br/facfipa/ner/pdf/cuidarte_enfermagem_v7_n1_jan_jun_2013.pdf

Anjos KF, Santos VC, Souzas R, Eugênio BG. Aborto no brasil: a busca por direitos. Revista Saúde e Pesquisa [internet]. 2013 [acesso em 2017 set 15]; 6(1): 141-52. Disponível em: http://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/2698/18624

Taucher SC, Soto AMF, Millanao AP, Rebaza ER. Estudio cromosómico en abortos espontáneos. Rev. chil. obstet. ginecol. 2014; 79(1): 40-6. DOI: http://dx.doi.org/10.4067/S0717-75262014000100007

Mora-Alferez AP, Paredes D, Rodríguez O, Quispe E, Chavesta F, Zighelboim EK et al. Anomalías cromosómicas en abortos espontáneos. Rev. peru. ginecol. obstet. [Internet]. 2016 [acesso em 2017 out 04]; 62(2): 141 51. Disponível em: http://www.scielo.org.pe/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2304-51322016000200002&lng=es

Mattos SB, Ceretta LB, Soratto MT. Causas relacionadas ao aborto expontâneo: uma revisão de literatura. RIES [internet]. 2016 [acesso em 2017 set 15]; 5(2):176-93. Disponível em: http://www.periodicosuniarp.com.br/ries/article/view/839/545

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Bahia [internet] 2017. [acesso em 2017 set 14] Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/panorama

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeção da população das unidades da federação por sexo e grupos de idade: 2000-2030 [internet]. 2017 [acesso em 2017 set 14] Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?ibge/cnv/projpopuf.def

Organização Mundial da Saúde. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde - 10ª Revisão. São Paulo: CBCD/EDUSP; 1995.

Ribeiro CL, Albuquerque FO, Souza AR. Internações por aborto espontâneo: um retrato de sua ocorrência em Fortaleza. Enferm. Foco. 2017; 8(1): 37-41. DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2017.v8.n1.5844

Cruz RSBLC, Caminha MFC, Batista Filho M. Aspectos históricos, conceituais e organizativos do pré-natal. R bras ci Saúde. 2014; 18(1): 87-94. DOI: https://doi.org/10.4034/RBCS.2014.18.01.144

Martins MFSV. O programa de assistência pré-natal nos Cuidados de Saúde Primários em Portugal – uma reflexão. Rev. bras. enferm. 2014; 67(6): 1008-1012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2014670621

Barbaresco AA, Costa TL, Avelar JB, Rodrigues IMX, Amaral WN, Castro AM. Infecções de transmissão vertical em material abortivo e sangue com ênfase em Toxoplasmose gondii. Rev. Bras. Ginecol. Obstet [internet]. 2014 [acesso em 2017 jan 2018]; 36(1): 17-22. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v36n1/0100-7203-rbgo-36-01-00017.pdf

Saciloto MP, Konopka CK, Campos Velho MT, Jobim FC, Resener EV, Muradás RR, Nicolaou PK. Aspiração manual intrauterina no tratamento do abortamento incompleto até 12 semanas gestacionais: uma alternativa à curetagem uterina. Rev. Bras. Ginecol. 2011 out; 33(10): 292-96. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032011001000004

Martins VA, Costa HA, Batista RFL, Rodrigues LS, Costa LC, Silva RNV et al. Mortalidade de mulheres em idade fértil de 2002 a 2011 em São Luís, Maranhão. Rev Pesq Saúde [internet]. 2014 [acesso em 2018 jan 13]; 15(1): 235-239. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/revistahuufma/article/view/3056/4085

Kobayashi C, Reis AS. Início da atividade sexual de mulheres jovens: questionando sua satisfação e preferências. Bol. Psicol. [internet]. 2015 [acesso em 2018 jan 13]; 65(143): 123-30. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-59432015000200002

Ferreira ICC, Silva SS, Almeida RS. Menopausa, Sinais e Sintomas e seus Aspectos Psicológicos em Mulheres sem Uso de Reposição Hormonal. Ensaios Cienc., Cienc. Biol. Agrar. Saúde [Internet]. 2015 [acesso em 2018 jan 13]; 19(2):60-4. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=26042168003

Bem TVDM, Sampaio TS, Monteiro DLM, Barmpas DBS. Complicações fetais em gestações tardias. Revista HUPE. 2014; 13(3):11-17. DOI: http://dx.doi.org/10.12957/rhupe.2014.12123

Bezerra ACL, Mesquita JS, Brito MCC, Santos RB, Teixeira FV. Desafios Enfrentados por Mulheres Primigestas em Idade Avançada. R bras ci Saúde. 2015; 19(2): 163-68. DOI: http://dx.doi.org/10.4034/RBCS.2015.19.02.12

Sistema IBGE de Recuperação Automática – SIDRA. População residente, por cor ou raça, segundo a situação do domicílio, o sexo e a idade [Internet]. 2010 [acesso em 2018 jan 16] Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/3175#resultado

Anjos G. A questão “cor” ou “raça” nos censos nacionais. Indic. Econ. FEE [Internet]. 2013 [acesso em 2018 jan 16]; 41(1): 103-18. Disponível em: https://revistas.fee.tche.br/index.php/indicadores/article/view/2934/3163

Santos VC, Anjos KF, Souzas R, Eugênio BG. Criminalização do aborto no Brasil e implicações à saúde pública. Rev. Bioét. 2013; 21(3): 494-508. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1983-80422013000300014

Ferraz RRN, Neri ASC, Barbosa EC, Silva MVC. Implantação de estratégia de rateio para identificação do custo em clínica multidisciplinar. Einstein (São Paulo) [Internet]. 2017; 15(2): 206-11. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s1679-45082017gs3759

Ferreira DL, Pires VATN. Perfil de morbidade e mortalidade de mulheres em idade fértil na área de abrangência da microrregião de saúde de Ipatinga. Revista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste [internet]. 2013 [acesso em 2018 jan 03]; 6(1): 1119-32. Disponível em: https://www.unilestemg.br/enfermagemintegrada/artigo/v6/09-perfil-de-morbidade-e-mortalidade-de-mulheres-em-idade-fertil-na-area-de.pdf

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Regulação, Avaliação e Controle, Coordenação Geral de Sistemas de Informação. SIH – Sistema de Informação Hospitalar do SUS: Manual Técnico Operacional do Sistema. Editora do Ministério da Saúde. 2014 [acesso em 2018 jan 17]; Disponível em: ftp://ftp2.datasus.gov.br/public/sistemas/dsweb/SIHD/Manuais/MANUAL_SIH_janeiro_2015.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.7156 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

SCImago Institutions Rankings

 

  

 

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.