The health of men deprivad of liberty in Brazil / A saúde dos homens privados de liberdade no Brasil

Micheli Cristo, Michele Lopes Diniz, Vander Monteiro Conceição, Marcela Martins Furlan Leo, Jeferson Santos Araújo, Rafaela Azevedo Abrantes de Oliveira Simoneti

Resumo


bjetivo: analisar as produções científicas nacionais a respeito do cuidado em saúde dos homens no contexto prisional. Método: revisão integrativa seguindo seis etapas. As buscas foram realizadas na base de dados – Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde e no portal de periódicos online - Scientific Electronic Library Online. Foram incluídos estudos dos últimos dez anos, publicados em português e na íntegra. A análise e exposição dos resultados foram por meio da abordagem descritiva. Resultados: A busca resultou em 546 artigos em ambas as bases, após análise dos critérios de inclusão e exclusão foram incluídos nove estudos. Após leitura e análise desses estudos foram construídas quatro categorias temáticas. Conclusão: Não é colocado em prática o que é abordado e defendido nas políticas públicas de saúde. Os profissionais de saúde e agentes de segurança atuam em um simples assistencialismo, sem humanização, e sem medidas preventivas de saúde.


Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


World Prison Brief (WPB). World Prison Brief data. Disponível em: . Acesso em: 14 de abril de 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Atenção à saúde das pessoas privadas de liberdade. Brasília; 2014

Brasil. Decreto-Lei 2.848, de 07 de dezembro de 1940. Código Penal. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro; 1940.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Política nacional de atenção integral à saúde do homem. Brasília; 2008.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional. Brasília; 2014.

Jesus LO, Scarparo HBKO. Trabalho em0020 saúde nas prisões: produção de sujeitos e territórios. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia. (Impr.). 2015 jan-jun 8;1:(78-93).

Souza MO, passos JP. Enfermagem no sistema penal: limites e possibilidades. Esc Anna Nery Rev Enferm. (Impr.). 2008 Set 12;3:(417-23...).

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Uso de gerenciador de referências bibliográficas na seleção dos estudos primários em revisão integrativa. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2019 [acesso 2019-04-04]; 28:e20170204. Available from: https://dx.doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2017-0204.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. (Impr.). 2010 8:102-106.

Mother, D.; Liberati, A.; Tetzlaff, J.; Altman, D.G. The Prima Group. Preferred Reporting Items for Sistematic Reviews and Meta-Analyses: The PRISMA Statement for reporting systematic reviews and meta-analyses of studies that evaluate health care interventions: explanation and elaboration. Journal of Clinical Epidemiology(Impr.). 2009 62;10: 1006-1012.

Melnyk BM, Finout-Overholt E. Evidence-based practice in nursing & healthcare. USA: WoltersKluwer; 2015.

Brasil. Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Brasília (DF): 1998 19 fev;

Barbosa ML, Celino SDM, Oliveira LV, Pedraza DF, Costa GMC. Atenção básica à saúde de apenados no sistema penitenciário: subsídios para a atuação da enfermagem. Esc Anna Nery. (Impr.). 2014 18,4:586-592.

Reis AR, Kind L. A saúde de homens presos: promoção da saúde, relações de poder e produção de autonomia. Psicologia em Revista. (Impr.). 2014 ago 20;2: 212-31.

Diuana V, Lhuilier D, Sánchez AR, Amado G, Araújo L, Duarte AM et al. Saúde em prisões: representações e práticas dos agentes de segurança penitenciária no Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública.(Impr.). 2008 ago 24; 8:1887-96.

Martins ELC, Martins LG, Silveira AM, Melo EM. O contraditório direito à saúde de pessoas em privação de liberdade: o caso de uma unidade prisional de Minas Gerais. Saúde Soc. (Impr.). 2014 23; 4: 1222-34.

Fernandes LM, Alvarenga CW, Santos LL, Pazin-filho A Necessidade de aprimoramento do atendimento à saúde no sistema carcerário. Rev Saúde Pública. (Impr.). 2014 48; 2: 275-83.

Carvalho LES, Sousa PCP, Veloso MV, Luz VLES, Feitosa VC. Percepção de detentos sobre a assistência à saúde em um presídio Estadual. R. Interd. (Impr.). 2016 out. nov. dez. 9; 4: 79-88.

Valim EMA, Daibem AM, Hossne WS. Atenção à saúde de pessoas privadas de liberdade.Rev. bioét. (Impr.). 2018; 26 (2): 282-90.

Brito LJS, Murofuse NT, Leal LA, Camelo SHH. Cotidiano e organização laboral de trabalhadores de saúde em presídio federal brasileiro. Rev baiana enferm. 2017;31(3):e21834.

Oliveira TFF, Ferreira PJO, Rosa RKG. Perfil de saúde no sistema penitenciário brasileiro: uma revisão integrativa da literatura brasileira. Rev Express Católica Saúde [periódico na internet]. 2016 [acesso: 14 nov. 2018];1(1):121-5. Disponível em: http:// publicacoesacademicas.fcrs.edu.br/index.php/ recsaude/article/view/1384/1113.




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.9310 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

SCImago Institutions Rankings

 

  

 

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.