PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE NA MULHER IDOSA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA.

Main Article Content

Liliane Pinheiro de Mello
Helena Ferraz Gomes
Mirian da Costa Lindolpho
Geilsa Soraia Cavalcanti Valente
Selma Petra Chaves Sá.

Resumo

INTRODUÇÃO

A osteoporose é um distúrbio osteometabólico que resulta em reduzida massa óssea e deteriorização da micro-arquitetura do tecido ósseo, levando a fragilidade mecânica e conseqüentemente predisposição a fraturas; sendo considerada uma das doenças crônicas degenerativas mais comuns nos idosos. Ela acomete geralmente mulheres, principalmente após a menopausa, pois essas tendem após a menopausa a terem o enfraquecimento dos ossos de forma intensa, devido à perda de estrogênio; enquanto os homens possuem uma estrutura óssea mais forte e a queda hormonal é pequena em relação à mulher. A principal complicação da osteoporose consiste nas fraturas que podem ocorrer mais freqüentemente nas vértebras, punho e colo do fêmur. A maioria dessas produzem mudanças esqueléticas como deformações e diminuição da estatura, com um componente doloroso, invalidez e até morte. Muitos são os fatores de riscos que estão envolvidos na predisposição da ocorrência à osteoporose, a identificação desses torna-se importante para elaboração das medidas preventivas. Assim, temos fatores de risco à osteoporose não modificáveis que são: idade avançada, sexo feminino, raça branca, história familiar de osteoporose, historia familiar de fratura de quadril, intolerância lactose, desordens osteometabólicas; e os fatores modificáveis que são: fumo, ingestão baixa de cálcio e de vitamina D, baixa exposição solar, sedentarismo, índice de massa corporal baixo, depressão, estresse e corticoterapia. O tratamento da osteoporose se torna muitas das vezes doloroso e com ônus elevado devido o tratamento da maioria das fraturas osteoporóticas serem demoradas. Além disso, a pouca informação sobre a doença torna-se um fator dificultador no controle e tratamento. Com isso fica mais eficaz prevenir a osteoporose do que tratá-la. Sendo assim, a realização de exercícios físicos, a alimentação rica em cálcio, e a exposição solar por um determinado tempo do dia são algumas medidas a serem adotadas na prevenção da osteoporose. Além disso, a National Osteoporosis Foundation (NOF) recomenda que todos os homens e mulheres acima de 65 anos realizam a desintometria óssea como medida de prevenção e promoção à saúde. Considerando a educação em saúde uma prática que estimula o desenvolvimento da consciência crítica das causas, dos problemas e das ações necessárias para a melhoria das condições da clientela; propôs desenvolver uma atividade educativa para estimular a promoção do autocuidado das idosas na prevenção à osteoporose, constituindo em uma estratégia para aumentar a qualidade de vida.

OBJETIVOS

Fazer um relato de experiência sobre o desenvolvimento de uma atividade de promoção da saúde e prevenção da osteoporose com idosas participantes do Projeto de extensão: “A enfermagem na atenção à saúde do idoso e seus cuidadores”.

METODOLOGIA

Trata-se de um relato de experiência sobre o “Dia da promoção da saúde e prevenção à osteoporose”, realizado no projeto de extensão: ”A enfermagem na atenção a saúde dos idosos e seus cuidadores”, no dia 1 de julho de 2010, desenvolvido a partir do projeto de pesquisa: “A consulta de enfermagem como estratégia de promoção da saúde e prevenção à osteoporose na mulher idosa”. Sendo utilizada a metodologia de pesquisa-ação crítica, o método construtivista e participativo. A atividade teve demanda espontânea, porém sendo definidas como público-alvo as mulheres idosas. No decorrer do evento foi realizada uma discussão do assunto, com presença de dinâmicas como um alongamento e a “dinâmica do sinal”; sendo distribuído ao final do evento um folder explicativo, um instrumento de avaliação do evento; e oferecido uma mesa contendo alimentos que preveni a osteoporose.

RESULTADOS

De acordo com as falas das idosas, observou que essas tinham um conhecimento prévio sobre a osteoporose, mas desconheciam alguns métodos de diagnóstico da osteoporose, a maneira de utilizar a terapia medicamentosa do tratamento da osteoporose, alguns fatores de riscos inerentes a doença, e algumas das principais medidas preventivas, como os alimentos essenciais na prevenção à osteoporose. Sendo que 100% das idosas após o evento sabiam responder sobre as medidas preventivas da osteoporose e consideraram o evento muito bom no conhecimento de novas informações referentes à osteoporose.

CONCLUSÕES

Conclui-se que a situação vivenciada, que propôs relatar à experiência do desenvolvimento da atividade educativa de promoção da saúde e prevenção a osteoporose com as idosas revelou a importância da educação em saúde como estratégia na prevenção dos agravos e na conscientização da clientela para uma melhoria na qualidade de vida diante à doença. Assim, os profissionais da saúde devem investir na realização de atividades educativas de caráter crítico e dinâmico, que atraem a clientela participante como forma de promover a saúde na prevenção das doenças, principalmente a clientela idosa que se encontra mais suscetíveis a diversas doenças.

REFERÊNCIAS

 

1.   Frazão P, Naveira M. Prevalência de osteoporose: uma revisão crítica. Rev.Bras.epidemiol. 2006 jun; 9(2): 206-14.

2.      Filho ETC, Netto MP. Geriatria. Fundamentos, clínica e terapêutica. São Paulo. Ed. Atheneu, 2°ed., 2006.

3.      Yazbek MA, Neto JFM. Osteoporose e outras doenças osteometabólicas no idoso. Einstein 2008; 6 (1 sup.): S74-S8.

4.    Carvalho CMRG, Fonseca CCC, Pedrosa JI. Educação para saúde em osteoporose com idosos de um programa universitário: repercussões. Cad. Saúde Pública 2004 mai-jun; 20(3): 719-26.

5.      Zazula FC, Pereira MAS. Fisiopatologia da osteoporose e o exercício físico como medida preventiva. Arq.Ciênc. Saúde Unipar 2003 set./dez.; 7(3): 269-75.

6.      Costa-Paiva L, Horovitz AP, Santos AO, Fonsechi-Carvasan GA, Pinto-Neto AM. Prevalência de osteoporose em mulheres na pós menopausa e associação com fatores clínicos e reprodutivos. Rev.Bras.Ginecol.Obstet. 2003 aug; 25(7): 507-12.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Pinheiro de Mello L, Ferraz Gomes H, da Costa Lindolpho M, Soraia Cavalcanti Valente G, Petra Chaves Sá. S. PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE NA MULHER IDOSA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 4º de janeiro de 2011 [citado 16º de maio de 2022];. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/1063
Seção
Systematic Review of Literature
Biografia do Autor

Liliane Pinheiro de Mello, Universidade Federal Fluminense

Graduanda do 9°período da Escola de enfermagem Aurora de Afonso Costa/UFF.

Helena Ferraz Gomes, Universidade Federal Fluminense

Residente de enfermagem de saúde coletiva.

Mirian da Costa Lindolpho, Universidade Federal Fluminense

Professora Adjunta do departamento de fundamentos em enfermagem e administração da Escola de enfermagem Aurora de Afonso Costa.

Geilsa Soraia Cavalcanti Valente, Universidade Federal Fluminense

Professora Adjunta I do departamento de fundamentos em enfermagem e administração da Escola de enfermagem Aurora de Afonso Costa.

Selma Petra Chaves Sá., Univesidade Federal Fluminense

Professora Titular do departamento de fundamentos em enfermagem e administração da Escola de enfermagem Aurora de Afonso Costa.

Plum Analytics