Medicines and its relation to the development of pressure injury in hospitalized-elderly people / Medicamentos e sua relação com o desenvolvimento de lesão por pressão em idosos hospitalizados

Thaynara Ferreira Lopes, Bruna Karen Cavalcante Fernandes, Solange Gurgel Alexandre, Fernanda Silva Farias, Thayná Cândido Day, Maria Célia de Freitas

Resumo


Objetivo: Identificar os tipos de medicamentos mais utilizados por idosos hospitalizados e relacioná-los com o risco de desenvolvimento de lesão por pressão. Método: Estudo descritivo e documental, realizado em um hospital de referência em traumas de Fortaleza-CE. A amostra constituiu-se por 48 prontuários e a coleta de dados ocorreu no período de agosto de 2015 a fevereiro de 2016. Resultados: Ocorreu a análise dos 48 prontuários de pacientes idosos acamados que se encontravam internados na Unidade de Terapia Intensiva e enfermaria. A média de idade desses idosos foi de 75 anos com presença de 54,2% do sexo masculino e 45,8% do sexo feminino. Desse total, os fármacos que mais apareceram e tem relação com o desenvolvimento da lesão são: os anti-hipertensivos, analgésicos, diuréticos, drogas vasoativas e antibiótico. Conclusão: Os tipos de medicamentos mais utilizados nos idosos deste estudo estavam diretamente relacionados às alterações no sistema circulatório do idoso.


Palavras-chave


Idoso; Enfermagem; Preparações Farmacêuticas; Pele; Lesões.

Texto completo:

PDF-EN PDF-PT

Referências


Ferreira JDL, Aguiar ESS, Lima CLJ, Brito KKG, Costa MML, Soares MJGO. Ações Preventivas para Úlcera por Pressão em Idosos com Declínio Funcional de Mobilidade Física no Âmbito Domiciliar. Estima. 2016;14(1): 36-42. Disponível em: https://www.revistaestima.com.br/index.php/estima/article/view/118/pdf

Fortes TML, Suffredini IB. Avaliação de pele em idoso: revisão da literatura. Health Sci Inst. 2014;32(1):94-101. Disponível em: https://www.unip.br/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2014/01_jan-mar/V32_n1_2014_p94a101.pdf

Fernandes MGM, Costa KNFM, Santos SR, Pereira MA, Oliveira DST, Brito SS. Risco para Úlcera por Pressão em Idosos Hospitalizados: Aplicação da Escala de Waterlow. Rev Enferm UERJ. 2012;20(1):56-60. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/3977/2759

Silva EA, Macedo, L.C. Polifarmácia em idosos. Revista Saúde e Pesquisa. 2013;6(3):477-486. Disponível em: http://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/2862/2160

Chacon JMF, Blanes L, Góis AFT, Ferreira LM, Zucchi P. Aspectos epidemiológicos do paciente com úlcera por pressão na Unidade de Terapia Intensiva do pronto-socorro de um hospital de ensino de São Paulo. Saúde Coletiva Digita. 2013;01(01):14-19. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/842/84228211003.pdf

Herdman, TH, Kamitsuru S. Diagnósticos de Enfermagem da Nanda – Definições e Classificações 2015-2017. 10th ed. Porto Alegre: Artmed. 2015. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/842/84228211003.pdf

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 466, Brasília; 2012. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Costa AMR, Xavier EMO, Filgueiras MC. Perfil Epidemiológico de Idosos com Fraturas Atendidos em Hospital de Emergência. Rev Brasileira de Ciências da Saúde. 2012;10(34): 41-46. Disponível em: http://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_ciencias_saude/article/view/1797/1343

Duca GFD, Antes DL, Hallal PC. Quedas e fraturas entre residentes de instituições de longa permanência para idosos. Rev Bras Epidemiol. 2013;16(1):68-76. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/rbepid/v16n1/1415-790X-rbepid-16-01-0068.pdf

Soares AB, Silva AM, Silva GD, Siqueira ICGL, Pamponet J, Cruz MP, et al. A assistência de enfermagem ao paciente submetido à artroplastia total de quadril e a importância dos cuidados no período pós operatório. Revista Recien. 2013;3(7):11-18. Disponível em: http://www.recien.com.br/index.php/Recien/article/view/47/91

Alencar LL, Torres MV, Santos AMB, Santos MB, Santiago AKC, Barbosa APB. Perfil epidemiológico de Idosos com Diabetes Mellitus Tipo 2 Cadastrados na Estratégia Saúde da Família. Rev Eletrônica Ciência & Saúde. 2014;1(1): 2972-2989. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/13773/9707

Freitas LRS, Garcia LP. Evolução da prevalência do diabetes e deste associado à hipertensão arterial no Brasil: análise da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, 1998, 2003 e 2008. Epidemiol Serv Saúde. 2012;21(1):7-19. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/ess/v21n1/v21n1a02.pdf

Mendes GS, Moraes CF, Gomes L. Prevalência de hipertensão arterial sistêmica em idosos no Brasil entre 2006 e 2010. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2014;9(32):273-278. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/795/641

Esperandio EM, Espinosa MM, Martins MSA, Guimarães LV, Lopes MAL, Scala LCN. Prevalência e fatores associados à hipertensão arterial em idosos de municípios da Amazônia Legal, MT. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2013; 16(3):481-493. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v16n3/v16n3a07.pdf

Lima MHM, Araújo EP. Diabetes Mellitus e o Processo de Cicatrização Cutânea. Cogitare Enferm. 2013;18(1):170-172. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/31323/20032

Vieira CPB, Sá MS, Madeira MZA, Luz MHBA. Caracterização e fatores de risco para úlceras por pressão na pessoa idosa hospitalizada. Rev Rene. 2014;15(4):650-658. Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/view/1777/pdf

Silveira EA, Dalastra L, Pagotto V. Polifarmácia, doenças crônicas e marcadores nutricionais em idosos. Rev Bras Epidemiol. 2014;17(4):818-829. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/rbepid/v17n4/1415-790X-rbepid-17-04-00818.pdf

Maeshiro FL, Lopes MCBT, Okuno MFP, Camapanharo CRV, Batista REA. Capacidade funcional e a gravidade do trauma em idosos. Acta Paul Enferm. 2013;26(4):389-394. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v26n4/v26n4a14.pdf

Santos ZMSA, Lima HP, Oliveira FB, Vieira JS, Frota NM, Nascimento JC. Adesão do Usuário Hipertenso à Terapêutica Medicamentosa. Rev Rene. 2013;14(1):11-12. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/3317/2555

Moraes GLA, Araújo TM, Caetano JA, Lopes MVO, Silva MJ. Avaliação de risco para úlcera por pressão em idosos acamados no domicílio. Acta Paul Enferm. 2012;25(1):7-12. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v25nspe1/pt_02

Campanili TCGF, Santos VLCG, Pulido KCS, Thomaz PBM, Nogueira PC. Incidência de úlceras por pressão em pacientes de Unidade de Terapia Intensiva Cardiopneumológica. Rev Esc Enferm USP. 2015;49(1):7-14. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49nspe/1980-220X-reeusp-49-spe-0007.pdf

Pinto S, Costa J, Carneiro AV, Fernandes R. Análise da Revisão Cochrane: Antibioticoterapia na Otite Média Aguda da Criança. Acta Med Port. 2013;26(6):633-636. Disponível em: http://www.actamedicaportuguesa.com/revista/index.php/amp/article/viewFile/5053/3800

Prates DB, Vieira MFM, Leite TS, Couto BRGM, Silva EU. Impacto de programa multidisciplinar para redução das densidades de incidência de infecção associada à assistência na UTI de hospital terciário em Belo Horizonte. Rev Med Minas Gerais. 2014;24(6):66-71. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS〈=p&nextAction=lnk&exprSearch=749296&indexSearch=ID

Diniz IV, Soares MJGO, Aguiar ESS, Leite SL. Manejo do Enfermeiro em Úlceras por Pressão Infectada no Ambiente Domiciliar. Rev Enferm UFPE. 2014;8(1):121-127. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/9614/9592




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.7993 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.

O atendimento telefônico da secretaria funciona de 06:00 as 09:00, de segunda a sexta feira.

 

        

Crossref Metadata User Badge
SCImago Institutions Rankings